23 abril, 2017

REVOLTA

Me deleito nas palavras aprovisionadas na minha mente, fértil e viril. 
Não vejo nenhum problema em recomeços, 
É até adequado, quando quero descobrir que a terra apenas gira. 
Minhas palavras me fazem refém do amor.
Do algo que nunca foi feito.
Do rateio desorganizado do obscuro.
Mas sinceramente, sou um louco por palavras adeptas ao amor. 
Tudo podemos, mas poucos fazemos.
Loucuras da revolta. 

Joanderson Ribeiro
abril 17

Nenhum comentário:

Postar um comentário

TANTO QUE SIM

O inesperado e sempre tendencioso aos olhos humanos. O talvez é sempre uma prática do suposto sim com uma leve pitada do não. Ligeiramente...