28 janeiro, 2012

SEGUNDO TEMPO


Ainda que as folhas caem, a venta leve a areia, haverá sempre uma esperança plantada que se regada crescera levando o ser humano a ter certeza que nada foi feito ao acaso.

Aparentemente foi tudo perdido. O telhado da casa saiu voando, o sol desapareceu, quanto as lagrimas com certeza fizeram  parte do que foi perdido durante o dia.

E assim foi mais um dia perturbador na vida daquele ser humano que pretendia no outro dia se deitar e em um gole acabar com sua vida, mais descobriu que existe coisas que ainda poderiam lhe trazer a felicidade, como por exemplo ter a chance de construir com seus passos a sua alegria de viver dando lhe chance de amar novamente. 




Joanderson Ribeiro
28.01.2012

19 janeiro, 2012

EU OU NÓS?

Eu estou possivelmente chateado comigo mesmo... 
Me chamam de loucos, mais todos tem razão.. 
sim sou louco e assumo, mais louco por cada pingo de verdade existente nos meus passos que construo a todo instante... 
Mal sabem eles que amanhã sera um novo dia, com novas espectativas e novos sonhos para serem revelados...
Enquanto isso o tempo não para, e junto com ele meu coração...
Tenho certeza que estas mesmas pessoas que me intitulam como o tal 'louco", são principiantes em seus passos, são pessoas que não sabem o verdadeiro valor de uma estrela que brilha no céu ou que possivelmente deixaram escapar por suas mãos seus sonhos que agora são insonias ensoladas em cada canto de seus olhares...

Descrevi e então tudo acabou como provavelmente começou...

Fui deixar meus pensamentos ultrapassar minha imaginação...



Joanderson Ribeiro
19.01.2012

08 janeiro, 2012

MÃO SOBRE MÃO

Engrassado nunca pensei que as loucuras fosses incuráveis.
Nunca tinha tentado ser feliz.
Até mesmo as estrelas se sentem só.
Em um beijo tudo pode mudar, até mesmo a direção contraria que e a unica a ser seguida.

Loucuras de uma noite, pertinente e passageira.
Enquanto isso o coração bate descontroladamente 
As pernas adormessem.
Os olhos não param  de querer mais, muito mais. 
Em um curto espaço e tempo foi possível perceber que o tal agora existe mesmo 

Duas mãos.
Duas bocas. 
Dois tipos de pessoas 
com um único objetivo.

Beijos que eleva o querer sem fim.
Noite fria,
Céu sem estrelas, mais quem precisa ver?
Derrepente cada beijo e inesgotável fonte de loucuras

Quanto a sua durabilidade... 
Alguns minutos, porem o suficiente para deixar dois corações irreconhecidos. 
Duas mentes transtornadas pelo que realmente os dois quer.

E tudo acabou como começou
Nunca te vi, somente nos meus pensamentos.
Cada detalhe de seu rosto
Cada palavra dita
Cada loucura feita que não será mais refeita.
Tudo foi apagado.

E foi apenas um adeus absurdo que me separou dos seus beijos onde tudo que houve foi meros pensamentos obscuros que se localizam exatamente do outro lado obscuro do que nada houve.

Enfim... final

Joanderson Ribeiro
08-01-2012