10 setembro, 2011

INSENSATO

A chuva que cai no chão lavando assim toda poeira deixada pela seca e a mesma que lava também minha alma cansada de correr contra o tempo para recuperar só dias que se passaram quando eu tinha estancado em meu peito um tal de amor...
Pobre eu, um verdadeiro ser humano indecente que assiste a dor dos outros e apenas sorrir para os sem escrúpulos...
Enquanto isso vivo de acordo com os dias sem a chuva.

Joanderson Ribeiro
10.11.2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário