16 abril, 2011

NÃO HÁ SOLIDÃO

A primeira vista, uma simples pessoa aparentemente calma, esconde em seus abraços uma força inigualavel, onde e capaz de produzir terror sem se mexer. Aquele mesmo ser humano, julga o mundo, e absorve seus sonhos que por ele sera o unico a ser realizado em um mundo totalmente coberto de mentiras.
Depois que acorda ama.
Depois que corre, sente dores da alma
Depois que produz tosterona nos outros, se tranca em sua duvida.
Depois de um dia inteiro querendo amor, apenas chora.
Depois de um banho de chuva, não se seca, e assim cai na cama quentinha.
Talvez ele esteja sofrendo, mais ainda não sabe pelo que, e muito menos o porque.
Tenta acordar para se reencontrar pela vida, mais não consegui, e como tudo que olha a sempre uma duvida pertinente sem respostas duradouras.

Enquanrto isso se debate, querendo saber quem e o dono da bagunça de sua própria vida, procura-se loucuras chamadas por nós de respostas e assim vai se perdendo cada segundo, cada minutos, e assim mais um dia que poderia serem usados para apenas sorrir.

Ele foi, um ser decente que esqueceu de viver a indecência, tentou respirar, mais era tarde e assim agora quer ter, mais não sabe por onde começar...

Ao final, fica-se dependente de sua solidão que não o engrandece, mais se julga agora com certeza que a felicidade podi existir, mais não conheceu... 


Joanderson Ribeiro
16. Abril. 2011

2 comentários:

  1. Ooo muito massa..
    Parabéns!!

    ResponderExcluir
  2. Adorei cada linha do seu texto vc escreve muito bem. Você colocou em palavras tudo o que algumas pessoas sentem no seu intimo chamado de coração..
    Você é um otimo escritor. Parabéns. E sucesso...
    Por: Marcela

    ResponderExcluir

TANTO QUE SIM

O inesperado e sempre tendencioso aos olhos humanos. O talvez é sempre uma prática do suposto sim com uma leve pitada do não. Ligeiramente...