30 março, 2011

DESCANÇO AO ACASO

Deitei e durmi a fim de esquecer suas palavras tão bandida quanto o meu coração
Fugi a afim de não ter certeza que nada ocorreu
Corri pela rua, enquanto chovia para lavar o meu rosto
Quando realmente ja estava melhor, veio a saudade.
Suas palavras ainda estão em minha cabeça, pronunciadas pelo meu ego.
Deixei estas palavras para não mais te ter, mais ainda sim sou seu.
Faço tudo ao contrario, mais o que vale a pena se o certo e eu ser seu?
Minha alma ainda relembra como foi o sonho bom.
Vida minha, que aqui nestas palavras será esquecida como vario sonhos que deixei para traz, porem sei que será totalmente impossível.

Mais ainda há algum pingo de esperanças em minhas palavras, mais amargar que meus passos em busca de algo que nunca tive, um amor para recordar

Fui em busca dos meus passos que deixei lá atraz, e assim continuarei não mais a passos largos, mais agora mais fortes como aquela arvora ali fora se sustenta de pé ate nas horas de terriveis chuvas que parecem nunca passar...

Assim fui.. e não mais voltei para seus braços, um ser humano indecente... assim como eu

Joanderson Ribeiro
30-03-2011


Nenhum comentário:

Postar um comentário

TANTO QUE SIM

O inesperado e sempre tendencioso aos olhos humanos. O talvez é sempre uma prática do suposto sim com uma leve pitada do não. Ligeiramente...