05 fevereiro, 2011

DEVO-ME

Nada seria capaz de determinar como e onde começou, mais aconteceu.
Foi acontecendo aos poucos, e aqui estou delirando e sendo incapaz de não chorar lagrimas que pertence ao outro ser humano.
Deixe-me ir. Gritando agitadamente, mais nada aconteceu e como este tão soubesse doas meus passos mesmos antes de pensar.
Nada será capaz de traduzir tamanho sentimento de arrependimento que tenho, mais ao mesmo tempo sinto-me vivo e ao mesmo tempo uma verdadeira marionete em seus braços... Amor insubstituível.
Fim de uma vida
Começo de arrependendimentos
Palavras indecentes
Medos inconsistentes
Coração que e penetrado facilmente em um mundo duro.

Fim do meu coração mais me mantém vivo.

Foi e nada veio para enxugar meus passos errados ou para me carregar...
Assim prossigo...

Joanderson Ribeiro
joandersonribeiro@r7.com
05. fev.2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário