15 novembro, 2010

SUB-CONCIÊNCIA

Aos fechar doa meus olhos tudo
desapareceu em frações de segundos.

O deserto me apareceu como um presente.
As dores cessaram


O medo de perder se perdeu.

O coração que batia em
ritmo acelerado, agora se apaziguou.

O vento forte que passava perto
da minha pele, não mais se fazia presente.

Meus passos que ficaram para traz me fazem
pensar no que fiz ou deixei de fazer.

O amor que zelava tanto,
hoje não existe mais, foi-se com as dores.

O cantar do dia-dia dos passaram agora

em convidavam a estrear a minha nova caminhada.

Mais tudo voltou ao normal quando em
questão de milésimos, não quis mais ficar na
terra da fantasia chamado bruscamente por nós de sonhos.

Afinal de contas, vivo aqui e não lá.

Voltarei para acabar de uma vez por
todas com esta realidade ou sonhos de solidão.


Joanderson Ribeiro
16.NOV.2010

Nenhum comentário:

Postar um comentário

TANTO QUE SIM

O inesperado e sempre tendencioso aos olhos humanos. O talvez é sempre uma prática do suposto sim com uma leve pitada do não. Ligeiramente...