14 novembro, 2010

NOVAS PALAVRAS

Não tenho o que escrever
em uma tarde fria, mais com
o sol La fora raiando, tentando
introduzir por minha pele a sua
esperança de ver tudo quente.

Talvez eu deva me levantar e
procurar por sua preocupação
que bate em minha porta a todo
instante, a todo o momento.

Poucas palavras descabidas e insaciadas, mais com algum valor
pisicologicante completo: agora basta eu levantar e sair daqui
correndo para os braços de um maravilhoso sol, que queima até
mesmo meu peito, mais não conseguiu me tirar do frio coração
gelado.

Joanderson Ribeiro
14.NOV.2010

Nenhum comentário:

Postar um comentário

TANTO QUE SIM

O inesperado e sempre tendencioso aos olhos humanos. O talvez é sempre uma prática do suposto sim com uma leve pitada do não. Ligeiramente...