07 novembro, 2010

A NOITE

Me contive, quando vi em minha frente a dor de não ultrapassar para o outro lado o amor insano.
Respirei fundo e em questão de segundos desceu do meu rosto um lágrima que agonizava sob meus olhos casados de te ver.
Passei a mão que limpava seu rosto todas as vezes que te via, agora com outras serventias, de me levantar sob aquela pressão que tinha me colocado.
Talvez se ao invez de um não, tivesse escutado um te amo.
Tantas emoções, e pouco viver, para um ser humano incapacitado.
Cada passo dado, cada rosa que te dei, cada pedaço de passado agora ficaram, e marcam meu viver hoje.
Tudo isso passei, porque no meio da noite acordei e vi que tudo isso era uma mentira saborosas, ou sonhos de um delinqüente que não tem mais sono.

Joanderson Ribeiro
07.nov.2010

Nenhum comentário:

Postar um comentário