28 agosto, 2010

SENTIMENTOS

Nada seria capaz de me tirar a esperança, aquela cansada de mim.
Escrevo em uma tarde fria, mais não chega ser gelada como seu coração.
Estive pensando em mim, em você e no mundo, tão grande e ao mesmo tempo perigoso.

Talvez estas palavras ninguém leia, mais o que realmente importa para mim sua felicidade, diante da infelicidade que nos rodeia prontamente para dar o bote de uma hora para outra.

Tantas vezes estive diante de muitas infelicidades suicidas, mais em minhas mãos tinha o meu direito de ser feliz, talvez se eu não pensasse assim a vida não estaria aqui escrevendo estas linhas desoladas uma das outras.

Sem medo do que vira por ai...

Sem ressentimentos a borda da vida, um navio que viaja em varias direções, e nós únicos tripulante e ao mesmo tempo capitão de todas as decisões tomadas dentro daquele magnífico navio que se chama vida.

Assim que amanhecer talvez eu conte meus sonhos para a realidade incomum entre varias linhas indecentes, uma especialidade entre nós; eu e a falta das verdades impertinente mais nunca desejada por mim, um rapaz simples como as palavras que são escritas por um tipo de coração vazio e mente cheia....


Poucas palavras com muitas verdades impertinentes.


Joanderson Ribeiro
28.AGS.2010

Nenhum comentário:

Postar um comentário