20 julho, 2010

NAS ENTRELINHAS


Em uma olhar tudo se confirma:
Medos florescem,
Mãos danadas proucuram pelo que preencher
Peles separadas pelo destino, em sintonia
Abraços desejados
Nomes desiguais,
Mentes procurando algum tipo de alivio
Pés quentes
Alguns carinhos como nunca se viu
Desejos imperdoáveis afloram
Nada e capaz de penetrar os pensamentos em completa sintonia
Dois passos para uma ilusão deliciosa,
Que tal sorrir? Chorar? Sentir-se bem?
Nada será capaz de proporcionar coisa melhor a não ser se abrisse os olhos para dizer quer tudo e um sonho.
Incapacitado de pensar, o ser que se julga forte não e exatamente um nada.
Beijos quer que conduzem ao um outro mundo.
Talvez aqueles seres humanos que nunca se viram possam um dia relembrar através de suas memórias o que se passou como passou e sentir saudades.
Aqueles carinhos, abraços em rolados, beijos calhentes
Mãos macias, coração atropelando o tempo em que se era bobo.
Embora tudo acabou querendo bis, de um momento que antes era futuro e que agora e passado lembrável.
De repente o que estava colorido, e invadido pelo preto e branco da vida;
Crianças chorando, mãe gritando, homem correndo, um sol inadequado aparece: insonhas substituídas; ignorâncias afloram. Uma parada para usufruir de um passado que se chama de um tal de ontem.
Lembra muito bem, mais logo cai em si e volta para o todo dia.
Mais dia se passa, e com ele mais uma chance de viver mais
uma nova lembravel experiência.

Joanderson Ribeiro
06.07.2010

Nenhum comentário:

Postar um comentário